Dentre todos os municípios capixabas produtores de uva – sejam nas terras mais altas e frias, como nas mais baixas e quentes – Santa Teresa lidera com folga a atividade com aproximadamente 80% da produção da vitivinicultura no Estado, que abrange da produção das vinhas e frutas até o processamento de vinhos.

São 800 toneladas por ano, cultivadas em 65 hectares na Doce Terra dos Colibris. Tudo isso significa uma movimentação econômica de cerca de R$ 4 milhões com a venda da uva de mesa (in natura), produção de vinhos, espumantes, sucos e geleias. Esses dados são do Instituto Capixaba de Pesquisa e Extensão Rural (Incaper) e da Associação dos produtores de Uva e Vinho teresense (Apruvit).

Neste cenário de destaque do cultivo da uva no município, chama a atenção o pioneirismo de Melício Montibeller que está entre os primeiros a produzir e processar. No entanto ele recua na memória para lembrar da origem da presença da fruta no município que teria chegado com os antigos italianos.

“Os primeiros galhos que chegaram a Santa Teresa, com os imigrantes italianos, atravessaram a longa viagem pelo oceano Atlântico encravadas em batatas, forma de manter as cepas vivas”, contou Melício.

Junto com tanta história e tradição, a atividade foi se modernizando e incorporando técnicas. Um nome ligado à inovação no setor é Luiz Batisti.

Devido à seca dos últimos anos, viu na redução de área plantada a solução da manutenção da cultura. Moradores no Vale das Tabocas, Batisti e sua esposa alcançaram a façanha de produzir 8 toneladas de uva em meio hectare, que corresponde a cinco mil metros quadrados, área proporcional a meio campo de futebol.

“Antes em 2 hectares cultivados colhíamos 3 toneladas e agora com apenas 25% da área chegamos a 8 toneladas da variedade Niágara de mesa. A média nacional é de 5 kg de fruta por planta estamos colhendo aqui de 15 a 20 kg por planta”, comemorou Luiz.

O sucesso da alta produtividade do casal Batisti é resultado da aposta na tecnologia com base na assistência técnica eficiente, podas corretas, combate de doenças e pragas, irrigação eficiente e adubação das plantas a partir de análise de solo.