Santa Teresa já é um dos mais apreciados destinos turísticos do Espírito Santo. E como quem é bom não pode ficar parado, a Doce Terra dos Colibris prepara uma nova rota de turismo aproveitando a beleza das montanhas capixabas. É o circuito turístico Santa Lúcia – Encantado, que também abrangerá terras do município de Santa Leopoldina.

A iniciativa surgiu na Associação de Agricultores Familiares de Santa Lúcia (AFSL), que aposta no potencial da região para atrair visitantes e já trabalha para que o circuito seja efetivado. Uma das tarefas será a sinalização nas estradas de acesso, além da divulgação oficial ao lado dos circuitos já reconhecidos.

São muitas as atrações na região Santa Lúcia – Encantado, que fica localizada no alto das montanhas cujas encostas estão voltadas para o litoral do ES: pontos em que é possível ver o mar, sítios e pousadas com hospedagem, pratos da gastronomia regional, fábricas de doces e biscoitos típicos, patrimônio histórico e cultural, cachoeiras e muita mata Atlântica preservadas em meio ao clima fresco da montanha. Sem contar que a região do futuro circuito está na Rota Imperial, que já é um roteiro estruturado e que integra o Estado com Minas Gerais.

Proprietária do Sítio Figueiredo e presidente da AFSL, Ilka de Souza Leite Cotta, é coordenadora da implantação do circuito. Ela conta que há um ano começou a discutir a ideia com outros membros da Associação. Daí o grupo foi crescendo e passou a contar com apoio de lideranças políticas e também do Sebrae, que já vem orientando empreendedores da região para a implantação do circuito, que está em fase de avaliação.

“Os prefeito de Santa Teresa Gilson Amaro, o ex de Santa Leopoldina, Romero Endringer e o atual, Vavá Coutinho, estão nos apoiando. A deputada estadual Luzia Toledo destinou emenda para reforma de uma ponte a partir da mobilização pelo circuito. No próximo dia 25 de março faremos um mutirão de limpeza na estrada onde ficará futuramente o portal identificando o Santa Lúcia – Encantado”, adianta Ilka.

Ilka prevê que o circuito será formalizado assim que os donos de negócios do agroturismo da região concluírem o treinamento e prepararem o plano de negócios junto ao Sebrae.

Dona da Casa de Festas Corteletti, Maria Aparecida Sesquim, disse que a expectativa dos empreendedores locais é grande. Eles inclusive têm visitado outros municípios das montanhas capixabas como Domingos Martins para aprender com a experiência de outros circuitos.

Proprietária da Vila Germânica, Lucinéia Lourenço Lima, considera fundamental a implantação do circuito para o desenvolvimento turístico da região. “Temos grande potencial e com o circuito teremos uma divulgação melhor”, avalia.