Primeira cidade do Brasil formada por famílias de imigrantes italianos, Santa Teresa conserva tradições da velha Itália. Uma das mais fortes é a música, que encanta visitantes e moradores locais, como a Cantoria Italiana pelas ruas. Ainda mais com a iniciativa do Circolo Trentino Di Santa Teresa, que está levando cantoria italiana para ruas, praça e até um tradicional bar da cidade. Segundo o presidente do Circulo Trentino, Dymas Espindula Rossi, uma das apresentações acontece nos três primeiros domingos de cada mês numa das praças da sede do município. “Idealizamos esse projeto Música na Praça onde o coral e instrumentistas do Circolo apresentam canções folclóricas italianas e também brasileiras. É sempre a partir das 10h”, Frisa.

Já no último domingo de cada mês, ao invés da praça, a música vai para o lendário Bar Elite. É um programa que também acontece às 10h, após a missa na Igreja Matriz. Tanto a igreja quanto o bar ficam na Rua do Lazer (Cel Bomfim Júnior), que concentra parte dos casarões históricos e hoje é point gastronômico e boêmio da Doce Terra dos Colibris, carinhoso apelido da cidade.

“A cantoria é uma tradição quase centenária, assim como o bar. Era oportunidade dos descendentes e até de imigrantes remanescentes lembrarem a terra de seus ancestrais. Com o passar dos anos foi se perdendo. Em 2001 houve um resgate, mas nos últimos anos parou de novo. Resolvemos resgatar o ano passado e vem dando certo”, conta o proprietário do Bar Elite, Tiago Roldi.

Tiago diz que nos domingos de cantoria o movimento no bar chega a ser de 30% a 40% maior, aumento que também é sentido nos outros estabelecimentos da rua do lazer e até de restaurantes do centro um pouco mais afastados. “Atrai não só os moradores que gostam de cantar, mas também os turistas”, lembra.

Seresta é a pedida nas noites de sábado

E que tal uma seresta com trovadores percorrendo as ruas com canções românticas emolduradas pelos sons de violões e sanfonas? Pois é, tem isso também. Segundo Dymas acontece uma vez por mês, sempre num sábado à noite, a partir da 20h, também na Rua do Lazer.“Me inspirei na experiência que vi na cidade de Conservatória, interior do Rio de Janeiro, onde em todas as noites há cantores percorrendo a cidade acompanhados por violonistas e sanfoneiros”, conta.

O melhor disso tudo é que todas três apresentações musicais são gratuitas, basta chegar e apreciar. Segundo Dymas, a iniciativa é abraçada pela comunidade local, que se orgulha de suas raízes e fortalece a identidade ouvindo e cantando canções que eram entoadas por seus antepassados, pessoas que cruzaram o Atlântico e tiveram a força para desbravar uma terra ainda virgem no último quarto do século XIX.

Para Dymas as apresentações também ajudam a consolidar a cidade como um dos principais destinos turísticos das montanhas capixabas. “Os turistas gostam muito das apresentações. Sempre somos muito aplaudidos”, conclui.